Doce Jazz é uma HQ sem falas, fruto de um sonho antigo: emular como foi a minha experiência de intercâmbio no Japão. Sem saber me comunicar direito em japonês, eu fiz amigos através da música – do jazz, para ser mais exata.

Ao ingressar no clube de jazz da universidade em que eu estava, percebi que a comunicação podia ultrapassar a minha falta de vocabulário e acontecer de uma forma diferente: comigo cantando enquanto eles tocavam.

Doce Jazz, no entanto, não é uma HQ autobiográfica; apenas utilizei minha experiência como tema da narrativa. Tudo o que acontece com a personagem principal, Elisa, é ficcional; uma espécie de versão alternativa da minha vivência.

O projeto também foi financiado através do Catarse e no momento está em produção, sendo ilustrado pela talentosíssima Melissa Garabeli. O lançamento está previsto para o segundo semestre de 2019. Até lá, você pode ler o prólogo, desenhado pelo artista convidado Michel Ramalho.

Sinopse

Elisa acaba de ser demitida e não sabe como pagará as dívidas. Com o dinheiro que resta na carteira, ela entra em um restaurante japonês para afogar as mágoas no sushi e acaba tirando a sorte grande em um biscoito: ganha uma bolsa de estudos para o Japão com tudo pago.

Sem saber se comunicar em japonês, ela enfrentará os desafios de viver longe de casa em uma terra desconhecida e descobrirá que a música pode ser a única linguagem necessária para criar e cultivar novas amizades.